terça-feira, 20 de março de 2012

PALPITEIROS



Já aviso que esse tema será recorrente nos posts. 
Gente, estria, kilos extras, peito de índia velha, pele manchada, barba, bexiga frouxa e pé inchado* são fichinha quando comparados à coisa mais irritante que nós mães temos que aguentar: os pitacos. É um terror! E eu não tô sozinha nessa não! A gente ODEIA palpite, povo! 
Ó, para não ser total injusta, tem uns que são legais, mas é mais a maneira como são dados os tais “conselhos”. Tipo, minha irmã falou que era mais fácil enrolar a manga do body entes de colocar o braço, sabe? Super conselho! Porque ela viu (via skype) minha primeira vez vestindo a Katarina. Aquele bebê molinho tendo o bracinho enfiado naquele minhocão sem fim que era a manga longa. Valeu, sis! 
Mas tem uns que pelamor, né, gente! Não sei o que acontece com as pessoas, que querem se meter em tudo e justificar cada barulhinho, chorinho, expressão do bebê DOS OUTROS. É incrível como TODO MUNDO acha que sabe muito mais do seu bebê do que você mesma.
Vejamos alguns exemplos irritantes:
“Ah, ela tá morrendo de fome, coitadinha!”
“Ah, essa menina tá com frio com essa roupa, pobrezinha...”
“Tira essa roupa dela, ela tá morrendo de calor, coitada!”
“Por que você insiste com a mamadeira? Ela não tá com fome, tadinha!”
“Você vai mesmo acordar a menina para dar mamá? Coitada!”
“Por que você não coloca um brinco nela? Eles nem sentem dor com essa idade.”
“Nossa, quanta roupa azul! Vão pensar que ela é menino!”
“Nossa, quanta roupa rosa! Menina pode usar outras cores também.”
Reparem como as pessoas morrem de dó do seu bebê. É coitadinha pra cá, pobrezinha pra lá. E TUDO ISSO SEM MOTIVO! Meeeeu, como isso me irrita! Minha filha não é coitada! Ela é muito amada, bem cuidada e feliz!
Olha aqui para vocês: :p

Eu sempre reclamei dos palpites com meu marido, ele me achava meio exagerada. Até que uma velha doida parou para falar com ele, que esperava fora da loja com o carrinho, enquanto eu comprava algumas coisas. 
“Agora, com essa temperatura (uns 9°C lá em Copenhague) os bebês não devem ficar cobertos. Eles precisam tomar ar.” 
Ele super se irritou com a velha intrometida.
E ontem no restaurante? Uma menina falando ao celular atrás de mim, Katarina chorando no colo da minha mãe.
Menina no celular: “Ah, esse barulho? É um bebezinho chorando...TÁ COM FOME.”
Arghhhhhhh!!!!!!!! Como assim, perua???  A menina tinha ACABADO de mamar! 
E a mulher do caixa então:
“ Ai, que chorinho forte,né? É choro de DOR.” 
Toda-toda com seu ar de sabedoria...
E não se trata só de uma coisa cultural não. Dinamarca ou Brasil, tem bebê na área, tem palpite também.
Dinamarca: “Você não coloca ela no carrinho para dormir na neve? Eles adoram e dormem super bem.”
Brasil: “O que? Você tá louca de sair com a criança na rua! Tá 8(!!!!) graus! Ela vai pegar uma pneumonia e morrer! Se ousar a sair vou chamar o conselho tutelar, hein?”
Jisuish!
E quando eu cheguei aqui, há 2 semanas:
Passa Katarina toda serelepe de fralda...
Passa Katarina toda serelepe de body...
Passa Katarina toda serelepe de fralda...
Passa Katarina toda serelepe de body...
E assim ad æternum (olha o curso de Direito aí,gente!).
Eram duas palpiteiras de plantão que bancavam o saci e me aterrorizavam! Minha queridíssima mãe e minha não menos querida irmã!
Minha irmã achava que a Katarina morria de calor e tirava o body. Minha mãe achava que a Katarina não deveria ficar com o peito descoberto, "senão pega resfriado", e colocava o body.
E eu?
Nem consultada fui! E não tinha como acertar, porque se concordava com uma, discordava da outra.
Daí, num ataque muito louco, eu rasguei o body com os dentes! Deixei só a frenteira da roupa na menina e todos ficaram calados e com medo.

Tá, isso é mentira. Mas teria sido muito legal, né? As ideias (olha eu atualizada no novo acordo gramatical, sem acento!) legais sempre chegam atrasadas...
E já repararam também que a mãe é sempre a mal humorada super sensível que não aguenta ouvir nada?
Não é isso, mas a gente ouve TANTO de TANTA gente que o último a falar é sempre o que leva na cabeça.
 Querido palpiteiro, antes de você já relevei outros mil “conselhos”. Foi mal aí, colega!
E quem fica no meio das discussões?

Eu!

Diálogos do filme:

Chapolin: “Conselho bom é conselho morto...não...é...se conselho fosse bom não seria de graça.”
Palpiteiro: “Mas tô só querendo ajudar.”
Chapolin: “ De boas intençōes morreu o diabo! Digo, de boas intenções o inferno tá cheio.”
Palpiteiro: “Tá bom, não vou falar mais nada.”
Chapolin: “Isso! Porque boca fechada não vaia Roma. Ou, em boca fechada não entra mosca.”
Gracinhas sem graça à parte, sigo tentando relevar (e revelar aqui no blog para ganhar audiência) boa parte das intromissões, repetindo mentalmente ou a altos brados  que a decisão é minha e ponto final. 
Hej, Linus, marido querido, eu digo decisão minha, mas você é sempre incluso aqui, viu? Hahahahahahaha.

* Eu não tive nada disso. Passei pela gravidez como um cisne elegante e minha filha de 4,222 kg saiu pelos países baixos sem causar nenhum estrago. 

9 comentários:

  1. Menina, já me aborreci, e ainda me aborreço, e muito com essas coisas. Nossa, o que minha sogra me deixa estressada. Até dizer que a Anna Letícia ia dormir a noite toda depois de tomar a sopa que ela fez (tipo assim, a mãe faz ela passar fome) ela já disse. Aff, e eu respiro fundo. E essa história de frio calor então. Ng merece. A gente sofre.

    Bjks e tudo de bom

    Carol

    http://segredinhosdecarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aiaiai! tem q contar até 1 milhão,né!
      Bjoes

      Excluir
  2. hahaha é engraçado vc falando assim Yara. mas não tem jeito, isso sempre vai acontecer, as pessoas sempre vao dar pitaco, principalmente pq é sua primeira... eles pensam "eu já criei meus filhos, sei como é, ela coitadinha, ta na primeira filha não sabe o q está fazendo..." - mas nem sempre o fato da pessoa ter criado 20 filhos é diploma de mãe né...
    o jeito é vc ouvir e aceitar conselhos construtivos, mas qnd passar dos limites, liga seu bitch switch (haha) e seja um pouco tiger mom, se impoe com os outros e mostra q a filha é sua e vc sabe SIM o q está fazendo! :)

    pelas coisas q vc escreve parece q está fazendo mto bem ;)
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Ué ninguém fala por mal, só porque quer ajudar, na melhor intenção, se vc não concorda, ou não gosta de algo é só fazer como a moça do vídeo aí, faz cara de paisagem e faz o que achar melhor, os conselhos ruins e os bons vem de conselhos, em geral, vc tem os ruins, mas tb recebe os bons, e peneira e usa o que quer... tolerância, educação, ninguém disse que é ou iria ser fácil e não deve ser, as pessoas palpitando sempre algo sobre a SUA filha, mas a maizena, ou qq coisa que possa ser útil partiu mesmo de algum pitaco de alguém...that's life...você escolhe o que quer, ninguém te obriga a seguir os conselhos que recebe...e pelo visto vc não é a primeira e nem será a última, e como vc mesma disse it's worldwide! bjo

    ResponderExcluir
  4. olha aí vc me dando a oportunidade de exercitar minha cara de paisagem com seu comentário

    *CARA DE PAISAGEM*

    ResponderExcluir
  5. Yara, que delícia de blog!!! Adorei menina e obrigada pela visita, cheguei aqui por lá, beijão, Ju

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que legal! muito obrigada! vc tem uma história linda com seus meninos! Muitos beijos

      Excluir
  6. Tô tentando lembrar se dei uma destas...

    ResponderExcluir